Páginas

Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Romantic or Creepy? #12 Final


E hoje chegamos ao final dessa sessão bizarra e fofinha que ocupa minhas sextas. Não sou dessas de desaparecer sem dar explicações. Pela falta total de retorno, eu não sei se esta sessão está agradando ou não (sério, nem minhas companheiras de sofá aparentam curtir :’( ). Pode não parecer, mas eu tenho um certo trabalho em fazer os posts, buscar as musicas, analisar as letras, transcrever tudo, e parece que ando escrevendo só pra mim, nesse caso, vou voltar a manter essas analises no meu lindo cérebro e nada mais.
Como ultima musica escolhi uma coisa linda, que no fundo é na verdade muito Creepy.

Clarice Falcão - Monomania

terça-feira, 12 de maio de 2015

as firulas, elas não servem pra nada

A firula, simples palavrinha que pode denotar tantas coisas:


Por Ricardo em 2012-11-23
Ato de florear, enfeitar, enrolar, rodear, confundir, dar voltas, ações ou palavras desnecessárias e dispensáveis, o que é dispensável, dar detalhes superficiais, detalhar demasiadamente, burocracia demasiada e desnecessária, perda de tempo, o que tornar extenso e maçante, conjunto de ações excessivas e desnecessárias que gerem desperdício e falta de eficiência, movimento de argumentações com a finalidade de enganar, confundir, complicar ou ludibriar, desviar a atenção do objeto principal por meio do uso de artifícios escusos, persuadir desviando a atenção do que é mais importante, o que não tem importância nem valor real.
"Este contrato possui muitas 'firulas' desnecessárias"."Deixe de 'firulas' e explique logo o que aconteceu"."Faça este serviço, mas não perca tempo com 'firulas', pois temos pressa em concluir o projeto".
O que esta palavra nos serve para hoje?
Bem, chega de firulas.

Quando vou resgatar o intenso histórico quilométrico de relacionamentos instituídos nesse belo corpinho peludo de pandinha sexy que sou, deparo-me com a firula. Aquele velho hábito de se "enfeitar" o quase rolinho. A arte de xavecar passa batido após alguns anos de estrada. A paciência para se melodramatizar para se obter algum tipo de benefício romântico acaba após algumas quebradas de cara.

Vamos ser honestinhxs?

Chega uma hora que não tem como querer ter a "firula" do romantismo no meio dos esquemas emocionais. Às vezes tudo o que preciso é de mais ação, menos ilusão. Acordos bem delineados. Situações bem acentuadas. "Se quéis, qués, se não quéis dix!" como no dialeto ilhéu daqui no sul-tupiniquim. 

Pra quê tanto floreio?
Pra quê tanto excessos?
Pra quê tantas entrelinhas?
"Bora uma social na cama?"
"Na sua ou na minha?"

Simples, simples assim. A gente que complica.

Alguns diriam que é muito "pra frentex", muito moderninho, afronta a família tradicional brasileira (aff!). Discurso besta, atrasado, lotado de demagogia, patriarcalismo e de controle social, eu replico. Mais firulas adicionadas as firulas anteriores.

Muitas firulas nessa vida.
Complicam demais a comunicação (Que já é complicada por tanta informação temporária no HD mental). Too much firula about nothing.

Gente, a gente deixa a firula de lado.
E o crochê e os lacinhos e rendinhas.
Façam.
Quando tiver vontade, façam.

Sem firulas. Sério. 

domingo, 10 de maio de 2015

A Vida e a Felicidade

Em excelente entrevista no Programa do Jô, o professor Clóvis de Barros Filho fala sobre a vida e a felicidade, com bom humor e exemplos comuns dá uma excelente aula.




Sabe com quem você está falando?

    O filósofo brasileiro Mario Sergio Cortella dá uma excelente resposta para essa pergunta, o vídeo é antigo e infelizmente não deixa de ser muito atual.

O Homem é um cadáver adiado.
Fernando Pessoa



Tu és o vice treco do sub troço!

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Romantic or Creepy? #11

E hoje é sexta!! Eitcha cosa linda! Hoje essa sessão traz até vocês a música mais romântica já escrita no Brasil, quiçá no mundo. Palavras não são suficientes para descrever a emoção que ela é capaz de causar em quem a ouvir. Uma letra complexa, cheia de amor, maior declaração que essa não há, e vos digo mais, nunca mais haverá. É única, especial, um tipo raro, que faz tremer dos pés a cabeça. A banda nunca mais poderá produzir algo tão icônico novamente, pois infelizmente sua jornada foi abruptamente interrompida. Sim meus amados, é deles que estou falando, o maior sucesso musical já visto no Brasil. A banda que inspirou gerações e que até hoje marca com suas letras profundas e impactantes. Os inigualáveis Mamonas Assassinas!

Melhor CD do mundo!

domingo, 3 de maio de 2015

Romantic or Creepy? #10

Vejam quanta fofura, me amem!
Pooor favooor me desculpe pelo atraso novamente! u.u'

Feriado na sexta é cruel pra essa sessão viu, eu fico toda perdida e acabo esquecendo. É sexta com cara de domingo, sábado com cara de domingo e domingo com cara de “puta que pariu não fiz nada e to atrasada!” Atrasos a parte, vamos ao trabalho. Quem me conhece sabe que romantismo não é muito a minha área, eu sou extremamente cética quando o assunto é sentimento dos outros em relação a mim, se falam alguma coisa fofa eu acabo rindo ou duvidando do que foi dito, nada legal! (sério, se alguém for tentar alguma coisa use plaquinhas, diferente do Sheldon eu entendo de sarcasmo, mas saber quando algo é romântico assim de cara não dá, eu preciso sempre analisar pra entender.) E essa minha noção estranha de romantismo - acho que já deu pra perceber pelas análises feitas aqui né ;) – já me fez usar a música de hoje como declaração, confesso que a pessoa não achou nada fofo, mas é a vida!

Pink feat Lily Allen – True Love


Compartilhe nas Redes Sociais