Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 12 de abril de 2015

[poesia] Ode ao homo (non)sapiens suado

Apto em sua corpulência
Esquece rápido de sua sapiência

Oh (non) sapiens querido
Observe sua grandeza

Provável ter mais de 1,90 de altura
Deve ser abaixo da cintura que se orgulha
O desajeitado é seu andar cambaleante
Mas esperto é sua intenção petulante

Oh (non) sapiens ferido
Levar soco nas costas é uma boa opção
(Homicídio acidental também)

Imagino com minhas muitas palavras
Em qual fase o recalque foi instalado em instância
Talvez ali na 2ª fase do curso ou até mesmo no jardim de infância
Tão sábio de suas estabanadas decisões
Tão corajoso em demonstrar suas afeições

Um belo soco nas costas querido sapiens suado
É pouco, eu sei
É pouco, pois ter uma mandíbula deslocada
Um nariz quebrado ou perna esmigalhada
Parece ser pouco, eu sei

Vá com os deuses infames, neanderthal sudorento!
Vá e aproveite a ressaca!
A consciência pesada!
A sensação de fracasso!
O cansaço despejado arduamente no vaso
Tenha nossa benção.

Aproveite e reflita nas horas clementes
No vaso sanitário, despejando arduamente suas vertentes
De sua constituição máscula e viril
Puro macho apropriado para reprodução
Aproveite cada gorfar de entusiasmo
E constate ainda pasmo
Que sua noite foi em vão

(Mas oh o dia, esse bendito dia promete tantas outras)

Saiba que não há problema nenhum em ser imbecil
É um defeito mínimo para quem se encontra em estado febril
Aproveite cada dor de barriga e mal estar de inconstância
E lembre do quão pequena é sua importância

===xxx===
Essa ode foi inspirada por um episódio babaca de um ser identificado como "homo sapiens" digno de uma bela sessão banheiro com direito a piriri, desarranjo estomacal e desnutrição. O dito cujo se atreveu passar dos limites com mulheres em um festival aqui em nossa localidade e só parou de incomodar após receber um belo soco nas costas de uma de nossas pandas.
Aposto que era do CTC

Compartilhe nas Redes Sociais